PATERNIDADE – FAMÍLIA NO PLURAL


O quarto episódio da websérie Família No Plural, produzido por profissionais do audiovisual ligados à Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), aborda a paternidade.

O quarto episódio da websérie Família No Plural apresenta entrevistas com João W. Nery, considerado o primeiro transexual masculino do país a passar por uma intervenção cirúrgica; e com Vera Moris, coordenadora do grupo Homopater, que reúne pais que saíram de relacionamentos heterossexuais e assumiram sua homossexualidade. Duas experiências e dois relatos que apresentam formas plurais de se vivenciar a paternidade.

“Eu sempre quis ser pai. Nunca pensei em ser mãe. E quando surgiu essa oportunidade, aos trinta e sete anos (…) eu abarquei essa idéia, era minha chance de seu pai”. É assim que João começa a descrever sua visão de paternidade, que extrapolaria o vinculo sanguíneo. Ele ainda reforça como sua condição de homem-trans foi importante para passar valores mais plurais para seu filho, experiência que também é relatada em seu livro “Viagem Solitária”.

De outro lado, Vera Moris apresenta os principais dilemas dos pais que frequentam o grupo Homopater; relata as principais dificuldades enfrentadas pelos pais no processo de se assumirem homossexuais para suas mulheres e filhos; aponta como os filhos lidam com essa nova condição familiar; e sintetiza o histórico da iniciativa, que existe desde 2007.

Para assistir todos os episódios já produzidos, acesse o Família no Plural no youtube.

Fonte: Blog Dois Terços

 

PATERNIDAD- FAMILIA EN PLURAL

El cuarto episodio de la serie web “Família No Plural”, producida por profesionales audiovisuales de la Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), que aborda la paternidad.
En el cuarto episodio de la serie web “Família No Plural” presenta entrevistas con João W. Nery, considerado el primer trans-sexual masculino del país en pasar una intervención quirúrgica; y con Vera Moris, coordinadora del grupo Homopater, que reúne padres que salieron de relaciones heterosexuales y asumieron sus homosexualidades. Dos experiencias y dos relatos que representan formas plurales de vivir la paternidad.
“Yo siempre quise ser padre. Nunca pensé en ser madre. Y cuando surgió esa oportunidad, a mis treinta y siete años (…) yo consideré esa idea, era mi oportunidad de ser padre”. Es así, que João comienza a describir su visión de la paternidad, que extrapola el vínculo sanguíneo. El aún refuerza cómo su condición de hombre-trans fue importante para pasar valores más plurales para su hijo, experiencia que también es relatada en su libro “Viagem Solitária”.
Por otro lado, Vera Moris presenta los principales dilemas de los padres que frecuentan el grupo Homopater; relata las principales dificultades enfrentadas por los padres en el proceso de asumirse como homosexuales para sus mujeres e hijos; apunta a cómo los hijos lidian con esa nueva condición familiar; y sintetiza la historia de la iniciativa, que existe desde el año 2007.
Para ver todos los episodios ya producidos, visite Família no Plural no youtube.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s