MONSANTO É CONDENADA POR PROPAGANDA ENGANOSA

A transnacional americana de agroquímicos Monsanto terá que pagar uma indenização de 250 mil dólares por “danos morais causados aos consumidores”, em propaganda difundida no sul do Brasil.

A decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região foi divulgada no dia 22 de agosto deste ano,  em um julgamento de segunda instância. Na primeira, a multinacional havia sido absolvida da acusação. O Ministério Público Federal (MPF) entrou com novo recurso e levou adiante a acusação contra a Monsanto.

A propaganda foi ao ar em 2001, antes que o cultivo de soja transgênica fosse aprovado no Brasil, o que ocorreu finalmente em março de 2005. Para o MPF, o objetivo da Monsanto era preparar o mercado para a introdução dos transgênicos,  assunto de intensa polêmica.

Na publicidade, um pai e seu filho conversam sobre o significado da palavra “orgulho”:

– Pai, o que é o orgulho?

– O orgulho é o que eu sinto quando olho essa lavoura. Quando eu vejo a importância dessa soja transgênica para a agricultura e a economia do Brasil. Orgulho é saber que a gente está protegendo o meio ambiente usando o plantio direto e com menos herbicidas. Orgulho é poder ajudar o país a produzir mais alimentos e de qualidade. Entendeu o que é orgulho, filho?

– Entendi. É o que eu sinto de você, pai.

“Não há comprovação científica de que a soja Monsanto utiliza menos herbicida”, afirmou o juiz federal de segunda instância, Jorge Maurique Antonio, que também destacou o fato de que a propaganda foi divulgada quando o plantio e a comercialização do produto no país estava proibido. “O réu usou publicidade indevida e enganosa já que o produto referido estava proibido no Brasil e não esclareceu que seus supostos benefícios são muito questionados no meio científico, incluindo sérias pesquisas que não são consideradas pela Monsanto”, concluiu.

Além de pagar uma indenização, a Monsanto terá que divulgar uma nova campanha publicitária esclarecendo as consequências negativas do uso de qualquer pesticida para a saúde de seres humanos e animais. A “contra-propaganda” deverá ser transmitida com a mesma frequência, nos mesmo meios e horários que foi divulgada a propaganda que originou a ação judicial.

A filial da Monsanto no Brasil terá 30 dias para cumprir as determinações da Justiça. Em caso de não cumprimento, a empresa pagará uma multa diária de 5 mil dólares. A transnacional pode apelar da decisão.

O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup, é foco de diversas acusações e denúncias em todo o mundo em relação aos danos que podem causar na saúde de seres vivos, contaminação da terra e da água. Uma das acusações recorrentes é a ineficácia do produto no controle de doenças nos cultivos transgênicos, uma de suas principais promessas.

De acordo com o juiz federal, “a propaganda deve ao menos advertir da promoção de benefícios e que eles não são unanimidade na comunidade científica, e especificamente advertir sobre os perigos do uso de pesticidas de qualquer tipo”.

Hoje se calcula que em 85% das plantações de soja no Brasil, segundo maior exportador do grão no mundo, são transgênicas.

Fonte: AlbaTV

Anúncios

Uma resposta para “MONSANTO É CONDENADA POR PROPAGANDA ENGANOSA

  1. Pingback: MOVIMENTAÇÃO MUNDIAL CONTRA AGROTÓXICOS E TRANSGÊNICOS | Blog do Centro Acadêmico Emílio Ribas_ CAER·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s